Tração integral e vetorização de binário no novo Opel Insignia

As berlinas familiares capazes de oferecer condução especialmente dinâmica encontram-se sobretudo em marcas premium. Do ponto de vista do comportamento em estrada, a Opel pretende colocar a nova geração Insignia nesse exigente patamar. Disponível com transmissão automática de oito velocidades e tração integral, o estreante Insignia Grand Sport possui um sofisticado sistema de vetorização de binário que resulta em maior qualidade de dinâmica e controlo. "O nosso novo Insignia estabelece novos referenciais neste segmento de mercado", afirmou William F. Bertagni, Vice-presidente de Engenharia de Veículos. "A vetorização de binário é uma forma extremamente avançada de transmitir potência às rodas. O Insignia com este sistema, e tração integral, alinha pelo que de melhor se faz atualmente em toda a indústria em matéria de comportamento dinâmico", concluiu. A tração às quatro rodas e a vetorização de binário constituem a melhor opção quando se trata de colocar potência no chão, quaisquer que sejam as condições do piso. Todavia, o peso adicional e a complexidade exagerada dos sistemas convencionais de vetorização de binário não se ajustam aos atuais padrões de performance e eficiência traçados pela Opel. Perante esta realidade, os engenheiros da marca alemã escolheram um sistema de tração 4×4 de tipo Twinster, cuja ponte traseira recorre a embraiagem dupla, sem diferencial. A tração integral do novo Insignia consegue fazer variar a transmissão de binário a cada roda, de forma independente ou em simultâneo, aplicando a vetorização de binário em todo o leque de utilizações. Em curva, o sistema dirige mais binário para a roda traseira exterior, induzindo rotação do veículo no eixo vertical. Graças a este efeito, o Insignia curva com maior precisão e responde de maneira mais natural aos comandos do condutor. O conceito de vetorização de binário representa também uma mais-valia no capítulo da segurança, uma vez que mantém um controlo efetivo sobre a distribuição de binário (potência do motor) de acordo com a posição do acelerador, com o ângulo de direção e com a aderência das rodas. Esse facto permite prevenir mais eficazmente movimentos exagerados de rotação do veículo no eixo vertical, sem que a performance – ou seja, a velocidade – seja afetada. Esta distribuição ‘inteligente’ de binário – também conhecida por 'redutor de rotação do veículo' – resulta num comportamento neutro do automóvel, tornando-o mais estável, ágil e fácil de controlar. No novo Insignia, os condutores podem selecionar dois níveis de intervenção do sistema, modificando o efeito de redução de rotação: um efeito maior, no modo 'Tour', ou um efeito menor, no modo 'Sport' – neste, o Insignia torna-se particularmente ágil, ‘enrolando’ melhor as curvas.

Ler Mais em: Auto Monitor

ARTIGOS RELACIONADOS