Lexus lança LS no Salão de Detroit

A quinta geração da berlina que deu origem à história da Lexus foi revelada no Salão de Detroit. Utiliza a mesma plataforma do LC500, mas perde o V8 em favor de um V6 sobrealimentado mais eficiente que o anterior bloco. Mais comprido, mais baixo e mais leve, promete excelente comportamento. As expetativas são imensas e a Lexus apresentou o carro com uma forte declaração, dizendo que espera que o novo LS “venha reposicionar a fasquia do luxo num automóvel da mesma maneira que o original LS fez em 1989.” Enorme ambição! O novo modelo é rival direto do BMW Série 7, Mercedes Classe S e Audi A8, tem por base a plataforma GA-L, a mesma do LC500, mas aqui com a distância entre eixos alongada dos 2870 para impressionantes 3125 mm. O motor está colocado na frente, a tração é feita às rodas traseiras ou às quatro rodas, como opcional. Olhando para a folha das características técnicas, o Lexus LS tem um comprimento de 5235 mm, uma largura de 1900 mm e a altura é de 1450 mm, ou seja, cifras que tornam esta quinta geração do LS ainda maior que o anterior modelo. Porém, está mais baixo 15 mm, capot está mais baixo 30 mm e a tampa da bagageira 41 mm mais baixa. Ou seja, estamos perante mais uma berlina com a mania que é um coupé… Depois de anos a fio a serem criticados pela falta de envolvimento na condução, os responsáveis da Lexus decidiram escutar essas vozes e, desta feita, colocaram a tónica no envolvimento na condução, reclamando que o LS foi dotado de “um comportamento preciso e uma direção direta” devido à nova plataforma mais leve, ao novo posicionamento do motor mais baixo que anteriormente e maior rigidez da carroçaria. Como referimos acima, o bloco V8 desaparece de cena em favor de um V6 com 3.5 litros e duplo turbo que, nas palavras da Lexus, tem capacidades semelhantes ás de um V8. O motor é totalmente novo e debita 415 CV e um binário de 600 Nm, encaminhados para as rodas traseiras através de uma caixa automática com conversor de binário e 10 velocidades, a mesma do LC500. Com tração às rodas traseiras, o LS chega dos 0-100 km/h em 4,5 segundos, desconhecendo-se qual a performance com a tração integral. Nas suspensões, os técnicos da Lexus encontraram 90 quilogramas desperdiçados, reforçaram o sistema multibraços traseiro e dotaram o LS de amortecimento pneumático. Esta oferece uma função “Acess” que rebaixa o carro quando as portas abrem e esvazia as almofadas de apoio lateral para facilitar o acesso. Todos os LS vão estar equipados com o VDIM (Veihcle Dynamics Integrated Management), um sistema que controla a travagem, direção, motor e suspensão, suprimindo os movimentos da carroçaria. O comportamento pode ainda ser melhorado com barras estabilizadoras ativas e o sistema LDH (Lexus Dinamic Handling) que oferece direção às quatro rodas de forma independente. O cento de gravidade baixo é um dos segredos do LS para o bom comportamento que a Lexus reclama. A maioria da massa, incluindo motor e passageiros, estão concentrados no centro do carro e mais baixos que anteriormente. Naturalmente que sendo um veículo de luxo, o Lexus LS está carregado de tecnologia e de ajudas á condução, além da conectividade. O banco do condutor é ajustável em 28 posições, os bancos traseiros são aquecidos e com regulação elétrica, refrigeração e podem ter massagem incluída. O cliente pode ainda optar por poltronas individualizadas. Medidas de supressão de ruído contribuem para um ambiente mais acolhedor, ampliado pela qualidade dos materiais. O LS estará á venda ainda este ano, sendo de esperar que depois do modelo com o V6 a gasolina, seja a vez de uma variante híbrida surgir no mercado pouco depois.

Ler Mais em: Auto Monitor

ARTIGOS RELACIONADOS